MENU

29/05/2020 às 14h00min - Atualizada em 29/05/2020 às 14h00min

Delegado explica operação em Vila Velha na casa de um traficante ligado aos irmãos presos com um caminhão de mercadorias em Piúma

Eles apreenderam 14 tabletes de maconha e uma pistola que seriam de Juan Manoel de Almeida Castro, já condenado por tráfico. O delegado e os PMs foram ouvidos como Agentes da Lei e testemunhas

Da Redação
 

De acordo com o Blog do Elimar Cortês, a imprensa – jornais, rádios, TVs e sites eletrônicos – do Espírito Santo podem ter cometido um erro grave ao noticiar que o delegado David de Santana Gomes e os soldados da Polícia Militar Juliano Araújo dos Santos e Cleyton Correia Gavi “foram detidos depois de flagrados com drogas”, em Vila Velha, na noite desta quarta-feira 28.

Documentos obtidos pelo Blog do Elimar Côrtes justificam que eles, depois de uma operação mal interpretada por uma guarnição da PM, foram para a Delegacia Regional de Vila Velha na condição de Agentes da Lei e como testemunhas.

A operação culminou com a apreensão de 14 tabletes de maconha e de uma pistola Taurus 380, de numeração KJK42479 com um carregador e 12 munições intactas. A apreensão aconteceu numa casa localizada na Rua das Acácias, bairro Morada do Sol.

De acordo com o BOP/CIODES/42405982, a casa onde a droga foi encontrada pertence ao cidadão “EULER DA SILVA GOMES, irmão do CAP QOC PM HILTON GOMES FILHO, lotado na Corregedoria, que se fez presente no local”.

A droga, no entanto, seria do inquilino identificado como sendo Juan Manoel de Almeida Castro, que já tinha fugido quando o delegado David Gomes e os soldados Juliano e Cleyton chegaram à residência.

No local, Euler disse aos policiais que a residência é alugada para temporada, e foi alugada recentemente por meio de anúncio pelo OLX. Porém, segundo o Boletim de Ocorrência – BO, o proprietário não soube informar no nome do morador. No entanto O homem que alugou a casa na Rua das Acácias é o já condenado por tráfico Juan Castro.

Convém ressaltar que, em 24 de julho de 2017, Juan havia sido condenado a pena de três anos e quatro meses por tráfico de drogas. Ele tinha sido preso no dia 27 de dezembro de 2014, na Boate “Mega Troops”, no bairro Jockey de Itaparica, em Vila Velha, com 36 comprimidos de “ecstasy” e uma bucha de “maconha”. Ele estaria vendendo o ecstasy para frequentadores da boate.

O delegado David Gomes explicou na tarde desta quinta-feira (28/05) que estava se deslocando para Vila Velha, depois de encerrar a atividade na Delegacia de Piúma, para checar a informação de que o homem suspeito de entregar drogas para traficantes da cidade do litoral Sul estaria com mais entorpecentes na Rua das Acácias.

Ouvindo outros policiais, o Blog do Elimar Côrtes apurou que esse suspeito é Juan. Integrantes da quadrilha de Juan já tinham sido presos pelas Polícias Civil e Militar, em Piúma, no dia 2 de maio de 2020 pela prática de estelionato. Eles estavam com dezenas de cartões de crédito clonados. A gangue atua no ramo de tráfico e golpes.

Informantes repassaram ao delegado que, de fato, havia drogas na casa de Juan. No meio do caminho, David Gomes disse ter solicitado apoio a dois de seus investigadores, mas eles estavam impossibilitados de sair de Piúma. Foi então que o delegado pediu ajuda dos dois PMs Juliano e Cleyton, com quem já havia trabalhado em outra cidade: “Eu sempre contei com apoio de policiais militares que fazem serviço ostensivo e de agentes do Serviço Reservado pelas cidades por onde atuei. Sempre trabalhamos em conjunto”, pontuou o delegado.

Os policiais militares então se deslocaram para o bairro Morada do Sol, que fica na região da Grande Ponta da Fruta em Vila Velha “Tratava-se de uma situação de flagrante, pois eu já estava no encalço dos traficantes. Por isso pudemos adentrar na casa e localizar os tabletes de maconha”, frisou David Gomes.

David afirma que foi esta a explicação que ele deu para o proprietário do imóvel. “Foi essa a explicação que dei para o dono do imóvel e seu irmão, capitão da PM, que me abordaram, dizendo que eu não poderia entrar na residência sem mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça. Eu respondi que conheço e lei e que estava na perseguição a um suspeito de tráfico”, completou o delegado.

Lembrou o delegado de Piúma que em abril deste ano e sua equipe da Delegacia de já haviam desarticulado uma outra quadrilha de traficantes e apreendido três quilos de pasta de cocaína, em Guarapari. Em setembro de 2019, ele localizou 500 pés de maconha em uma propriedade rural de Alfredo Chaves.

De fato, o delegado David Gomes e os policiais militares Juliano e Cleyton não foram detidos. Nesta quinta-feira (28/05), porém, o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, explicou que as Corregedorias das Polícias Civil e Militar vão investigar a conduta dos três.

O delegado e os dois policiais foram ouvidos na noite de quarta-feira pelas respectivas Corregedorias, mas na condição de testemunhas e de Agentes da Lei. As Corregedorias vão apurar se o delegado e os PMs cometeram algum desvio de conduta ou falhas em procedimentos.

Os dois PMs que ajudaram o delegado estavam afastados por problemas de saúde. David Gomes disse que desconhecia que eles estavam licenciados.

Para entender a história, é preciso uma leitura da Descrição Ocorrência, feita por policiais militares de uma guarnição:
“Em preventivo no bairro Interlagos, ouvimos o Ciodes deslocar a RP 3545 para a Rua das Acácias, Morada do Sol, a fim de averiguar uma suposta invasão de domicílio. Como estávamos perto, resolvemos apoiar a Viatura em questão. Ao nos aproximar do local, fomos abordados por um morador informando tal acontecimento na casa de numero 15. Ao chegar na referida rua, avistamos alguns moradores que mantinham contato via ‘watts’ sobre a segurança do Bairro e estavam também procurando a residência. Entre as pessoas se encontravam na rua, estava o Senhor Marcelo Alves, Capitão reformado do exercito e advogado que ao ser avisado por um dos moradores da rua que o acontecimento estava sendo na residencia de numero 59, viu que o portão de entrada estava entre aberto e adentrou a mesma. Logo em seguida o Aluno Sargento Vicente encostou no portão de entrada e visualizou além do senhor Marcelo mais três homens ao lado de um saco de lixo preto. Nesse momento um dos cidadãos se identificou como sendo delegado de policia e os outros dois se identificaram como sendo policiais militares do 4° BPM. Pedido então suas funcionais e o motivo pelo qual estavam na referida residencia, foi nos informado pelo senhor delegado Davi de Santana Gomes que ele era Delegado do Município de Anchieta (Piúma), que estava monitorando um traficante naquela residencia e que pediu aos militares em questão para ajudarem ele na abordagem. Indagado sobre o conteúdo do saco de lixo foi nos mostrado vários tabletes de substancias semelhantes a Maconha. Logo em seguida o Delegado tentou entrar no veiculo Ford Ka Sedã de placas PPW0891 com os militares dizendo que monitorava o suposto traficante e que precisava sair do local. Fora informado ao mesmo que a guarnição precisava conferir suas identificações junto ao Ciodes e que aguardassem a presença do CPU no local afim de que se confirmasse suas identificações e a legalidade daquela suposta operação. Com a chegada das guarnições da 13ª Cia para o apoio, foi identificado que o SD PM Cleyton Correia Gavise encontrava armado com material de carga da PMES e que o SD PM Juliano Araujo dos Santos estava de posse de sua arma particular, que serão relatados nos objetos relacionados. Sobre as armas em questão, por determinação do Oficial COP o Senhor Tenente Montavani, CPU do 4° BPM foi até o local verificar a situação e posterior tomar as providencias cabíveis. Com a chegada do Canil da 13 Cia Ind fora permitido pelo proprietário da residencia, senhor Euller, que fizéssemos uma revista minuciosa para que fosse identificado mais alguma coisa ilícita. Foram encontrados 04 bolas de substancias semelhantes a haxixe mais material de embalo para venda de entorpecentes. Após disso chegou a Viatura da Policia Civil 1819 da Segunda Regional e logo em seguida a Viatura da Corregedoria da PC. Foi avistado que apos conversa com o Delegado Davi, o Corregedor Adjunto da PC, Delegado Lauro Coimbra abriu o porta malas do Ford Ka e visualizou o conteúdo do saco de lixo constatando as drogas citadas. Logo em seguida ao ser pedido pelo CPU da 13 Cia Ind para que pudéssemos contabilizar as drogas apreendidas e revistar o veiculo Ford Ka, foi nos informado pelo Delegado Lauro que o Veiculo Ford Ka iria ser escoltado pelas viaturas da PC para a Segunda Regional e que lá então seria contabilizado os entorpecentes e feita a revista. Então seguiu o referido comboio para a Segunda Regional acompanhado também pela Viatura 4459 da 13 Cia Ind. Ao chegarmos na Segunda Regional, fizemos a Revista do Veiculo Ford Ka, na presença de Militares e Policiais Civis onde fora encontrado uma Pistola 840 de carga da PC de Identificação SDY93481, três carregadores com referidas munições que ficaram de posse da Segunda Regional. Quando fomos contabilizar os entorpecentes foram identificados 14 tabletes grandes de Maconha Inteiras e 4 Pedaços das mesmas e ao lado dos entorpecentes fora também entregue a PT TAURUS 380 de Numeração KJK42479 com um carregador e doze munições intactas. Vale frisar que a referida Pistola não foi identificada no momento da abordagem na Rua das Acácias. Logo em seguida fomos informados que prosseguiríamos para a Corregedoria da PC para a confecção desse BU e a entrega dos produtos.”


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sugestões
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp