MENU

03/06/2020 às 17h15min - Atualizada em 03/06/2020 às 17h15min

Movimento independente faz carreata pela reabertura do comércio em Marataízes

Da Redação
A carreata saiu pelas ruas da cidade pedindo a reabertura do comércio local
 

Comerciantes organizaram uma carreata com aproximadamente 30 veículos e cinco motocicletas e saíram, nesta quarta-feira (3), pelas ruas centrais de Marataízes pedindo pela reabertura do comércio local, que está com as atividades suspensas ou restritas, cumprindo as medidas restritivas elencadas no Decreto Municipal nº 697, que tem por objetivo combater o avanço da Covid-19.

Contando com um veículo de som particular que incitava com palavras de ordem a população a apoiar o movimento, a carreata saiu da Barra de Itapemirim e percorreu às Avenidas Cristiano Dias Lopes, Simão Soares, Rubens Rangel e seguiram em direção ao Centro da cidade com bandeiras, cartazes e buzinaço.

A reportagem entrou em contato com o CDL de Marataízes para saber se o movimento teria sido organizado pela entidade lojista. O presidente da entidade, Cidauro Bourguinhon atendeu e disse que o CDL não participou do movimento, pois já tinha sido alertado pela Federação dos Diretores Lojistas que havia uma recomendação do Ministério Público para que a entidade de abstivesse de qualquer movimento neste sentido – “A Federação dos Diretores Lojistas nos recomendou a não participar destes movimentos para reabertura dos comércios, seguindo uma notificação do Ministério Público. Enquanto entidade, respeitamos, mas eu, pessoa física, apoio o movimento dos comerciantes. Já me manifestei, por meio das redes sociais minha posição contrária ao decreto municipal”, disse Cidauro.

Apesar do barulho, pelas ruas a população não demonstrou entusiasmo com a carreata. Ao contrário disso, ouvimos muitas críticas ao movimento. Um comerciante de Marataízes, que está com suas portas fechadas pelo decreto, criticou a insensatez dos colegas – “Não é possível que estas pessoas não estão compreendendo o momento que estamos vivendo. Estamos enfrentando um inimigo invisível, que está matando muitas pessoas. Também estou passando por dificuldades, mas não quero expor minha família e meus funcionários a este perigo. Prefiro me resguardar e aguardar que isto tudo acabe logo”, disse o lojista.

Marataízes é o município com maior número de casos confirmados e de óbitos do litoral sul do Espírito Santo.

Com informações O Jornal
 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sugestões
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp