MENU

29/12/2020 às 09h45min - Atualizada em 29/12/2020 às 09h45min

Rodrigo Vilaça renuncia ao cargo de CEO da Itapemirim no Natal e no decorrer da recuperação judicial

Executivo estava há menos de um ano no cargo

Da Redação

O executivo Rodrigo Vilaça anunciou em pleno Natal renúncia do cargo de CEO do Grupo Itapemirim.

A informação é da coluna “Capital” do jornal O Globo desta sexta-feira, 25 de dezembro de 2020, que diz que a decisão ocorreu depois de desentendimentos entre o executivo e o proprietário Sidnei Piva de Jesus sobre as ações para tirar as companhias do grupo da recuperação judicial, que se prolonga desde 2016.

Ao Diário do Transporte Sidnei Piva negou que houve desentendimento e classificou o fato como “apenas uma mudança normal de empresa”

Já por meio de nota pela assessoria, a Itapemirim diz que a mudança se deveu ao processo de reestruturação da companhia.

NOTA OFICIAL

A saída do executivo Rodrigo Vilaça do cargo de CEO do Grupo Itapemirim foi tomada com base em pilares de governança e gestão, e faz parte da reestruturação que a empresa vem promovendo nos últimos anos.
Em termos do organograma da companhia, altera-se apenas o comando da Viação Itapemirim (empresa rodoviária do grupo). A companhia reforça, ainda, as boas-vindas ao novo CEO Eliandro Bueno. Bueno é advogado, com MBA em Administração de Empresas pela FGV e especialização em Comunicação Empresarial pela Greystone College. No Grupo Itapemirim, atua há 2 anos e meio, com alta performance nas áreas em que atuou.

O processo de recuperação judicial tem sido marcado por desavenças e disputas desde quando começou, envolvendo queixas da família de Camilo Cola, fundador da Viação Itapemirim e desentendimentos e mudanças de quadro societário, como a saída de Camila Valdívia.

Vilaça estava há menos de um ano no cago e continua atuando como assessor da presidência da FGV – Fundação Getúlio Vargas para a área de Transportes e Diretor do Departamento de Infraestrutura e Logística da Fiesp.

Piva quer colocar o tradicional grupo de ônibus rodoviários em outros ramos, como anunciando a entrada da empresa no setor aéreo e de concessões ferroviárias.

Recentemente, a empresa anunciou parceria com a Odebrecht pensando em disputar as concessões das linhas 8 e 9 da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), em São Paulo, cujo leilão ocorre em março de 2021.

Fonte: Diário do Transporte


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sugestões
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp