MENU

08/06/2021 às 14h41min - Atualizada em 08/06/2021 às 14h41min

Valor do metro quadrado em Vitória está entre os dez mais caros do Brasil

Levantamento analisou 50 cidades no país; Vitória também foi a capital brasileira com a segunda maior valorização das vendas residenciais em maio

Um levantamento realizado pelo Índice Fipe Zap apontou que o valor do metro quadrado dos imóveis em Vitória ficou entre os dez mais caros do Brasil. Em maio, o valor foi de R$ 7.536, ficando pouco abaixo da média nacional, que é de R$ 7.615. A pesquisa foi feita em 50 cidades do país. 

O Rio de Janeiro ocupou a primeira posição com o valor mais alto: R$ 9.530, seguido por São Paulo (R$ 9.491), e Distrito Federal, em Brasília (R$ 8.214). Ainda na frente de Vitória ficaram as cidades de Balneário Comboriú, Florianópolis e Itapema,  em Santa Catarina. 

Vila Velha, que também é citada no levantamento, tem a média de valor do metro quadrado de R$ 5.238 e ocupa a 24ª posição no ranking entre as 50 cidades analisadas. 

A pesquisa também apontou que Vitória foi a capital brasileira com a segunda maior valorização das vendas residenciais de maio. A cidade capixaba teve crescimento acumulado de 1,59% para a média nacional, com alta de 5,49% em 2021. 

De acordo com o corretor e colunista Luiz Stanger, a valorização dos empreendimentos em Vitória acompanha um momento em todo o Brasil. Segundo ele, é o resultado de momento vivenciado pelo mercado imobiliário.

"O primeiro é em relação à baixa da taxa Selic, que chegou a mínimas históricas. Então foi o momento de liquidez, quando os apartamentos que estavam parados foram vendidos. Com isso, há escassez de alguns tipos. A etapa seguinte seria a alta de preços. Então, estamos vendo essa alta do valor de anúncio. É um ponto bom para os proprietários de imóveis antigos. Quem vem comprar é um momento de avaliar bem qual opção escolher", afirmou.

De acordo com o levantamento da Fipe Zap, o comportamento do preço de venda de imóveis residenciais em Vitória registrou uma variação de 1.63% em maio, com relação à abril. Esta foi a segunda melhor variação nacional, dentre as capitais pesquisadas. O maior número foi registrado em Manaus, com variação positiva de 2.18%.

Os bairros mais caros

Na capital, os valores do metro quadrado ultrapassam a margem de R$ 8 mil. Segundo o levantamento, nos 10 bairros mais valorizados de Vitória, o preço médio varia entre R$ 2.849 e R$ 8.700, a depender da localização. Veja na tabela abaixo:

Ao levar em consideração o acumulado anual, Vitória registrou uma variação positiva de 11.44%, sendo o melhor resultado dos últimos seis anos. O número é o terceiro melhor do Brasil, entre as capitais acompanhadas, ficando atrás somente de Maceió (14.02%) e Manaus (11.60%).

Vendas seguem em alta na Grande Vitória

De acordo com o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-ES), a velocidade de vendas do mercado imobiliário de imóveis novos da Grande Vitória, que passou a aumentar vertiginosamente a partir do mês de maio de 2020, atingiu seu pico no terceiro trimestre de 2020, em que o índice mensal ultrapassou os 10%, tanto nos segmentos econômicos, como no médio e alto padrão (MAP). No referido trimestre houve a máxima histórica há muitos anos.

“O Índice de velocidade de vendas (IVV) mensal superior a 10% significa que mais de 10% de toda a oferta de imóveis pelas incorporadoras, em fase de lançamento ou prontos, foi vendida mensalmente, o que, grosseiramente, significa que em menos de 10 meses toda a oferta de imóveis novos seria zerada, caso não houvesse novos lançamentos”, explica o diretor de Economia e Estatística do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-ES), Eduardo Borges.

No 4º trimestre de 2020, o IVV mensal bruto foi de 8,67% nos imóveis de médio e alto padrão (MAP), e 9,97% no ECO, que engloba programas como o Minha Casa, Minha Vida ou Casa Verde e Amarela, sendo 9,40% o índice geral. Já no 1º trimestre de 2021, o IVV mensal bruto foi de 7,23% no MAP, e 9,83% no ECO, sendo 8,00 % o índice geral.

Valorização

Para Stanger, a valorização dos imóveis também se dá por conta de fatores que cada consumidor aprecia durante a busca por uma opção.

"O principal ponto é a localização. Você tem que escolher do que se apega e do que vai abrir mão. Se a pessoa não abre mão de uma localização, por exemplo, ela precisa entender que isso tem um preço. Se apegar muito a alguma coisa  significa que será necessário abrir mão de outra", disse.

Localização favorece escolha do imóvel

Para quem está buscando uma oportunidade de adquirir um imóvel, a dica é levar alguns pontos em consideração, como a localização e o espaço, atendendo às necessidades ou levando em consideração o investimento imobiliário.

"O investimento em imóveis tem que ter a atenção da forma de pagamento. Não adianta você contratar uma dívida, comprar pagando muito pouco durante a obra. Tem que ter uma forma de pagamento agressiva ou planejada. Tem que viabilizar uma valorização ou um lucro sobre o que foi pago", disse o especialista.

"No caso de imóveis usados, tem que ver os valores do local. É interessante comprar, não no sentido de pedir desconto, mas de pagar um preço e ter mais valor. Um imóvel novo pode render uma boa locação. Ou um imóvel antigo pode gerar um custo para reforma e gerar uma boa venda. O consumidor deve procurar informações de qualidade para tomada de decisão", completou Stanger.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sugestões
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp