MENU

06/10/2020 às 15h00min - Atualizada em 06/10/2020 às 15h00min

Vice-governadora declara apoio a Luciana Maximo em Piúma

Jornalista promete exercer o mandato mais transparente do Espírito Santo e tem apoio incondicional da vice-governadora Jacqueline Moraes

Da Redação
A Jornalista, professora e escritora Luciana Maximo, 50 anos é candidata a vereadora em Piúma pelo PSB, na coligação “Juntos pela reconstrução de Piúma”. Conhecida nas redes sociais por ser a voz da população, em especial, a excluída, Luciana tem o apoio da vice-governadora, Jacqueline Moraes, que se tornou amiga em 2017, ano em que se candidatou a deputada estadual, também pelo PSB.

“Piúma tem que ter mulher na Câmara e Luciana Maximo é um nome forte para chegar lá”, assegura a vice-governadora e secretária da Mulher socialista, Jacqueline Moraes durante um encontro com a jornalista em Vitória recentemente.

 
Se você é candidato ou simpatizante de algum candidato a prefeito ou vereador do litoral sul (Marataízes, Itapemirim, Piúma, Anchieta e Presidente Kennedy), envie para nós como foi o dia a dia do seu candidato, ou um resumo da semana, que faremos divulgação. Envie para nosso e-mail portalesemdia@gmail.com ou nosso whatsapp 28 99955-4585.

Jacqueline Moraes gravou um vídeo com Luciana afirmando que a candidata pode contar com a vice-governadoria, com o Palácio e com o secretariado para ajudar a cidade de Piúma a resolver as demandas. A propósito, enxerga a candidatura bastante positiva, porque o  jornalista tem um olhar macro para a cidade, justamente o papel do vereador, além de fazer o que constitucionalmente ele tem de fazer, ele é a caixa amplificadora da voz da comunidade. “Lá na Tribuna da Câmara ele coloca justamente aquilo que dói nas pessoas. Você pega a dor das pessoas e leva, propõe a política pública para resolver aquela demanda. Além disso você ainda pode bater na porta dos deputados federais, dos senadores, do governador, buscando uma forma de solucionar porque você pode propor, buscar para solucionar”, ressaltou Jacqueline.

Para a vice-governadora o diferente do jornalista para o vereador é que o profissional da imprensa vai até o problema, registra, traz e divulga, informa, mas a ação está limitada porque não há a força de bater na porta, de pedir uma emenda, de fazer um projeto de indicação, “e falar, eu vou buscar o Ted Conti que é o nosso deputado federal, ou o Paulo Foleto que hoje é o secretário de Agricultura, às vezes é um problema na agricultura, este é diferencial de estar no jornalismo e de estar na Câmara Municipal”, exemplificou.

Na conversa com Luciana, Jacqueline foi realista, explicou que sendo vereadora ela não vai resolver o problema do mundo e nem todos os problemas de Piúma, mas vai ser porta voz. Terá oportunidade de ir a Brasília, de bater na porta do prefeito e dizer: prefeito vamos discutir o orçamento colocando esta situação. É a voz que precisa ter lá e o poder precisa ter a voz das mulheres.

“Piúma pode contar com a vice-govenadora, com o governo, você, Luciana eu posso dizer com toda certeza, é o máximo pra mim, é uma pessoa muito especial que chegou na minha vida em um momento em que eu também fui desafiada para um projeto, fui desafiada a ser pré-candidata a deputada federal, mesmo quando eu não era ninguém, você acreditou em mim. Na semana que eu recebi o convite para ser vice-governadora eu e Luciana tínhamos conversado pela manhã, nem eu nem ela sabíamos de nada. Nossa história é de muita lealdade. A vida precisa disso, pessoas leais, verdadeiras, as pessoas precisam acreditar na política, continuar acreditando que existem pessoas integras e leais e você é uma dessa pessoas”.   

A voz das pessoas
Sempre antenada nos problemas sociais, a jornalista é tida como a voz de quem não tem acesso a serviços públicos.  “Diariamente, recebo mensagens e telefonemas, a população me chama para falar dos problemas. Se a obra da orla para o comerciante me chama. Se os carros de som estão atrapalhando o funcionamento dos bares, eles me chamam. Se estacionam no lugar das barracas da feira, o feirante me grita eu vou. Se ocorre um acidente, eu recebo fotos, se tem homicídio eu vou registrar. Na enchente, na greve dos professores, dos caminhoneiros, dos profissionais da saúde. Eu nunca deixo de atender o leitor, o cidadão. Já resolvemos muitas demandas que nos chegam. Agora eu busco uma vaga na Câmara e quero deixar claro, a minha bandeira é a fiscalização dos recursos públicos e a elaboração de leis que venham de encontro as demandas da cidade. E, se eu tiver apoio dos pares, se eleita for, pode saber, a cidade toda vai saber imediatamente. Farei lives, posts no instagram, facebook, site e vou rodar a cidade com carro de som. Será na história do ES o mandato mais transparente. Jamais visto”.

Luciana Maximo é formada em Letras, tem pós-graduação em Gestão Escolar, é professora de Língua Portuguesa, autora do Livro Rabo de Olho. Já promoveu saraus de poesia e fez exposição fotográfica Contemplação – uma exposição produzida para hospitais.

É natural de Presidente Kennedy, mas está em Piúma desde 2010. Em 2011 fundou o Jornal Espírito Santo Notícias com o compromisso de traduzir os fatos de forma ética. “Entrei para a política porque estou cansada de cobrar e fazer críticas. Agora eu quero participar. Quero usar o prestigio que tenho com o Governo do Estado, a porta aberta com a vice-governadoria e propor para Piúma uma Agenda Mulher com empoderamento para todas as mulheres. Quero estabelecer pontes com a Assembleia Legislativa, com o Congresso e se possível com o senado e o Planalto. Nós podemos mais. Piúma merece o máximo”, afirmou a jornalista.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sugestões
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp