MENU

10/12/2020 às 13h34min - Atualizada em 10/12/2020 às 13h34min

Delegado Djalma Lemos fala sobre gatos de energia feitos pela Prefeitura em Itapemirim

Da Redação
O delegado Djalma Lemos falou na manha desta quinta-feira (09) em entrevista (entrevista na íntegra abaixo), sobre a Operação Gato Feliz da Polícia Civil realizada em Itapemirim na terça (07) e quarta-feira (08), em que descobriu diversas instalações de energia clandestinas (gatos de energia), feitos em repartições públicas do município pela prefeitura.

"A PC agiu dentro de órgão público, onde se deveria esperar lisura", disse.

Em diversos locais foram encontrados gatos, caracterizando, crimes da administração pública. Na localidade de Barbados, o ginásio é atendido por “gato” de energia, uma vez que não possui relógio da EDP. Na Escola Municipal Magdalena Pisa em Itaipava, foi encontrada instalações cladestinas. Já em Candéus, na Praça e Quadra esportiva da Prefeitura e no CCZ (Centro de Controle de Zoonose) também foram encontradas outras irregularidades. 

Umas das instalações clandestinas que mais chamaram a atenção, foi o Centro de Especialidades Médicas de Itapemirim, em Itaipava. O local de atendimento de saúde havia sido inaugurada há pouco mais de 3 meses, isso antes das eleições municipais, ou seja, uma obra nova, com energia furtada.

Em Itapecoá, localidade do interior, no Centro de Saúde, Unidade Básica de Saúde, a PC e EDP descobriu um gato de energia, com um fio de 200 metros puxado do Instituto Renascer, Instituto que trata dependentes químicos. 

Dr. Djalma disse que a denúncia de “gato” veio de uma empresa que prestou serviços a prefeitura. O procurado de Itapemirim disse que a Prefeitura de Itapemirim vai regularizar os débitos em um prazo de 10 dias.

Delegado Djalma informou que ainda pode existir outros gatos de norte a sul do município, nos órgãos municipais, como as secretaria de Saúde, Educação, Obras e Segurança, que possivelmente estão com as mesmas falhas (gatos) e passíveis dos mesmos crimes.

Caso algum funcionário da PMI tente desfazer os gatos que ainda existam nas repartições públicas e ele seja pego em flagrante, pode responder criminalmente.

Caso fique comprovado que Dr. Thiago Peçanha tenha participação ou conhecimento nas ligações clandestinas (gatos), o MPES poderá entrar com ação contra o prefeito na Justiça do Estadual. 





Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sugestões
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp