MENU

01/02/2021 às 11h34min - Atualizada em 01/02/2021 às 11h34min

País registra aumento do descarte de plástico durante a pandemia

Em Cachoeiro de Itapemirim, a BRK Ambiental removeu 21,6 toneladas de resíduos em geral das redes de esgoto em 2020

Da Redação
Com a pandemia de Covid-19 e o isolamento social, o Brasil registrou um aumento do volume de materiais plásticos descartados irregularmente. Segundo  o relatório Atlas do Plástico, publicado pela fundação alemã Heinrich Böll, o uso de máscaras descartáveis e embalagens de alimentos utilizadas em serviços de entregas estão entre os fatores que contribuíram com esse cenário. A Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), aponta que, em comparação com 2019, houve um aumento de 25% a 30% na coleta de materiais recicláveis no Brasil durante o período da pandemia.

Diante disso, a BRK Ambiental, concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto em Cachoeiro de Itapemirim, reforça a importância da contribuição da população para reduzir a geração do lixo e garantir a destinação correta desses resíduos. Somente em 2020, por meio das atividades de manutenção e limpeza preventivas, a concessionária retirou 21,6 toneladas de lixo das redes de esgoto do município e realizou a limpeza de 11,5 quilômetros de tubulações.

Durante esse trabalho, frequentemente, são encontrados resíduos de construção civil (pedras, resto de cimento, madeira, plástico, papelão, sacos etc.) e descartes de banheiro (papel higiênico, fio dental, preservativos, cabelo, cotonetes, tecidos, sacos plásticos etc.), além de resíduos de cozinha que são descartados irregularmente, como restos de comida e, principalmente, óleo e gordura.

“É importante conscientizar a população a respeito do tema e lembrar que as redes de esgoto são projetadas para receber apenas 1% de resíduos sólidos e 99% de líquidos. Quando uma pessoa descarta um resíduo sólido em uma tubulação, como ralos ou vaso sanitário, isso pode resultar em entupimentos, vazamentos e até mesmo provocar o retorno do esgoto ao imóvel”, explica o coordenador operacional da BRK Ambiental em Cachoeiro, Fernando Cortez.

A concessionária reforça que o processo de tratamento do esgoto tem como objetivo remover o material sólido, organismos patogênicos característicos do esgoto bruto, além de reduzir a carga orgânica e compostos químicos indesejáveis para níveis adequados aos da legislação vigente. O excesso de lixo nas redes pode provocar impactos em todo o sistema de saneamento, além de transtornos à população.

Para orientar a população sobre as medidas necessárias para evitar problemas na rede de esgoto, a BRK Ambiental mantém o Programa de Vistoria Residencial, que inclui a realização de vistorias no interior dos imóveis por uma equipe devidamente identificada e seguindo todos os protocolos sanitários e de higienização recomendados contra a Covid-19.
 
“Pequenas mudanças de hábitos no dia a dia contribuem positivamente com o bom funcionamento dos sistemas de água e esgoto. Uma simples tampa de pasta de dente descartada pelo ralo já pode gerar um grande problema. O material não é capaz de se dissolver na água e pode fazer com que outros objetos lançados indevidamente fiquem enroscados nele, provocando o entupimento da rede de esgoto”, reforça Fernando Cortez.

Para dicas e informações sobre os cuidados com as redes de esgoto e o descarte correto de lixo, acesse: https://blog.brkambiental.com.br/.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sugestões
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp