MENU

01/06/2020 às 09h59min - Atualizada em 01/06/2020 às 09h59min

Com 12 cidades em risco alto, Espírito Santo ainda não atingiu pico da pandemia

Cidades do litoral, da Grande Vitória, do Noroeste e da região Serrana compõem a lista dos municípios em situação mais crítica no estado

Agência Brasil
 

O Mapa de Gestão de Risco do Espírito Santo foi atualizado na tarde de sábado (30). Com vigência até o próximo domingo (07), 12 municípios capixabas compõem a lista das cidades com alto risco de contaminação para o novo coronavírus. O Corpo de Bombeiros alerta que as medidas de contenção precisam ser respeitadas.

Atualmente, o mapa é atualizado uma vez por semana e tem vigência por sete dias. De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Alexandre Cerqueira, o monitoramento é realizado diariamente. "Embora essa matriz tenha um período operacional semanal, o monitoramento é diário, constante. Todos os dias temos uma equipe que avalia o que acontece em cada município. Se necessário, pode haver alguma intervenção no meio da semana", explicou.

Nesta semana, compõem a lista de cidades com risco alto os municípios de Boa Esperança, Cariacica, Fundão, Marataízes, Marechal Floriano, Piúma, Presidente Kennedy, Santa Teresa, Serra, Viana, Vila Velha e Vitória. O estado ainda possui 52 cidades com Risco Moderado e 14 em Risco Baixo.

Nos casos das cidades da região Serrana, o comandante destacou que há um bom índice de isolamento social, mas a questão turística pode colaborar para colocar os locais em risco alto. "Observamos que Santa Teresa e Marechal Floriano, embora estejam com índice de isolamento social acima de 60%, estão com incidência muito alta com a população. Isso pode se dar devido a procura das pessoas que, neste período de inverno, elas procuram o lazer nas montanhas. Importante deixar claro que, neste ano, não é momento de fazer isso", salientou.

A Matriz de Risco, que está em sua terceira fase, leva em consideração como critérios de classificação o Coeficiente de Incidência de casos confirmados por 100 mil habitantes, a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), os índices de isolamento social e de letalidade da doença, além do percentual da população acima dos 60 anos – considerado como grupo de risco.

Com base nos índices ocorridos no Espírito Santo, o coronel Cerqueira reafirma a necessidade de reforçar os cuidados e as medidas de prevenção. "Não há evidências que a pandemia chegou no platô ainda. Estamos avançando. Vale destacar que as medidas de intervenção do estado, no início, foram importantes. Isso propiciou que o Espírito Santo adotasse estratégia do mapa de risco. Não existe isolamento total. Isso não quer dizer que a doença está sob controle. As pessoas devem respeitar os decretos, os horários", ressaltou.

Dentre as medidas em vigor, estão o cancelamento das aulas até o final de junho, podendo haver prorrogação no prazo; o revezamento no funcionamento das atividades do comércio nas cidades com risco alto; a obrigação do uso de máscaras em todo o território capixaba; o pagamento das passagens apenas por meio do Cartão GV nos ônibus do sistema Transcol; entre outros.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Sugestões
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp